Dois brasileiros ganham bolsa do Instituto Weizmann de Ciências

72

 

Três brasileiros acabam de ser premiados na Intel International Science and Engineering Fair, a maior feira de ciências e engenharia do mundo: a (Intel ISEF). A boa notícia, é que dois deles, Luiz Fernando da Silva Borges e Maria Eduarda Santos de Almeida, já tinham sido previamente selecionados para receber uma bolsa integral para a Escola de Verão do Instituto Weizmann de Ciências de Israel, que acontecerá em Julho de 2017, proporcionada pelo grupo de Amigos do Instituto Weizmann do Brasil.

Nascido em Aquidauana, no Mato Grosso do Sul, Luiz Fernando da Silva Borges foi laureado com mais de 50 prêmios em feiras de ciências e engenharia nacionais e internacionais e foi o primeiro e único brasileiro a receber os prêmios de primeiro lugar e melhor da categoria, em Engenharia Biomédica, na Intel ISEF. Além disso, recebeu também o prêmio concedido pelo MIT Lincoln Laboratory, por meio do programa Ceres Connection, tendo seu nome submetido para a International Astronomical Union (IAU), para ter um asteroide próximo do Planeta Terra batizado com seu nome. Um de seus projetos pode ser visto no Museu do Amanhã no Rio de Janeiro

Com seu projeto, Luiz Fernando tenta estabelecer comunicação com pacientes em coma ou em estado vegetativo. Ele desenvolveu uma espécie de touca que funciona por meio de estímulos elétricos gerados quando o paciente pensa, sendo necessário apenas o uso da audição e não o uso de músculos ou da visão. Se a pessoa estiver escutando os comandos, seus pensamentos vão gerar pulsos distintos que serão reconhecidos pelo computador, que os transformará em respostas para perguntas dos médicos e da família.

Vinda de uma pequena cidade com apenas sete mil habitantes, o primeiro projeto de pesquisa de Maria Eduarda Santos de Almeida foi um material capaz de purificar água produzido a partir de resíduo agroindustrial, que a credenciou para diversas feiras internacionais. Nesta edição da Intel – ISEF, ela foi premiada com um projeto sobre a preservação da biodiversidade com plantas nativas do Brasil.

Tanto Luiz Fernando, quanto Maria Eduarda estão extremamente empolgados e ansiosos para o International Summer Science Institute, que acontecerá de 04 a 30 de julho de 2017, período em que o Instituto Weizmann abrirá seus mais modernos laboratórios nas áreas de bioquímica, biologia, química, matemática, ciência da computação e física para os futuros cientistas.

“Sonhei com a oportunidade de participar desta instituição com valores de igualdade, movida por curiosidade antes de tudo e sediada em um dos lugares mais inovadores do mundo, que ao mesmo tempo apresenta-se como um dos nossos pilares culturais. Espero acima de tudo me tornar uma pesquisadora melhor e ainda mais apaixonada!”, destacou Maria Eduarda.