Cerimônia premia os vencedores do Concurso WIZO de Pintura e Desenho

187

“Concursos como esse, promovido pela WIZO, são uma alavanca para o aprendizado, pois todo jovem gosta de competir e, nesse caso, podem mostrar o talento e a sua criatividade, ao mesmo tempo que aprendem a ser mais sensíveis e mais fraternos, refletindo sobre temas importantes como o da imigração”, falou o secretário da Educação do Estado de São Paulo, José Renato Nalini, durante a Cerimônia de Premiação do Concurso WIZO de Pintura e Desenho 2017, realizado na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo.

A presidente de Honra da WIZO Brasil, Ana Marlene Starec, que veio do Rio de Janeiro especialmente para a cerimônia, entregou o uma das Menções Honrosas ao aluno Wesley Aparecido Freitas e elogiou o esforço dos estudantes e professores para entregar trabalhos com tanta qualidade. A presidente da WIZO-SP, Nava Shalev Politi, elogiou o trabalho da aluna vencedora da segunda Menção Honrosa, Ester Lopes de Souza. “A sua obra, tão significativa e tão bem produzida, refletem a esperança em uma nova geração”.

O vereador Gilberto Natalini, há muitos anos entusiasta do Concurso, destacou que “a arte torna a vida mais leve e mais profunda, e acompanha a espécie humana desde os seus primórdios, e quando a arte se junta à educação, temos a união perfeita”.

A presidente de Honra da WIZO-SP, Sulamita Tabacof, entregou o Prêmio do Júri Aberto à aluna Isabelly de Freitas Lessa. “Este quadro é alegre, maravilhoso, pura ao contrário das cenas que vemos na mídia sobre o tema da imigração, e é um símbolo de esperança e da paz”.

Tania Tarandach, diretora do Concurso, falou sobre o esforço dos funcionários da WIZO-SP para que este empreendimento aconteça todos os anos. “São meses de preparação, desde a escolha do tema à elaboração do material de apoio, além do contato com as escolas, o recebimento dos trabalhos, a seleção e a superação dos contratempos que aparecem pelo caminho”.

“Educação é a própria vida” 

A terceira colocada, Giovanna Del Buono Trama,da cidade de Luiz Antônio, de apenas 12 mil habitantes, explicou a concepção do seu trabalho. “Pesquisei na apostila informativa da WIZO e na Internet, e quis retratar no meu desenho como os imigrantes dos dois países construíram um novo mundo”. Bruno Laskovsky, presidente da Federação Israelita do Estado de São Paulo, que entregou o prêmio a Giovanna, se mostrou emocionado em um evento que “junta educação, civilidade, imigração e a possibilidade dos povos se falarem”. Por fim, citou uma frase do pedagogo norte-americano John Dewey: “Educação não é a preparação para vida, é a própria vida”.

 

A professora Luciana Helena Pascon Forti, que orientou o trabalho do segundo colocado Luiz Gustavo Cinatri, comentou sobre a dificuldade do tema deste ano. “Foi muito desafiador, mas fizemos a pesquisa e chegamos a esse resultado, e quase morri de alegria ao saber que tínhamos chegado na segunda colocação”. Teruco Araki Kamitsuji, que sucedeu a Sergio Serber na presidência do Conscre, entregou o segundo prêmio e também sublinhou a importância da arte na vida das pessoas. “É a arte que dá o equilíbrio ao indivíduo, e ela que trabalha com a emoção, e sem ela não conseguimos sobreviver”.

O professor Alessandro Roberto de Carvalho, que orientou a vencedora do primeiro prêmio, Karelly Ticona Mamani, revelou que foi a primeira vez que sua escola participou do Concurso e que não tinha a dimensão de sua grandeza. “Desde há muito tempo, percebo que a Karelly possui um grande talento e é importante Concursos como este que abrem portas para esses talentos, afinal, quantos artistas temos nessas escolas que acabam passando despercebidos, sem uma chance de mostrar suas habilidades?” O professor também elogiou o tema e contou que sua escola é formada por muitos filhos de imigrantes e migrantes.

O Cônsul-Geral de Israel em São Paulo, que entregou o primeiro prêmio, contou que quando era criança, também participou de um concurso de pintura, e na ocasião fez um grande mapa da América do Sul. “Fiquei com aquele sonho de visitar o Brasil e este continente e hoje sou diplomata aqui, ou seja, assim como foi para mim, desejo a todos os participantes que este Concurso seja um primeiro passo para a realização de seus sonhos”.

O Coral Sharsheret mais uma vez abrilhantou a tarde cantando os hinos do Brasil e Israel e mais duas canções que encantaram os presentes. Foram ainda mostrados vídeos da viagem à Brasília dos vencedores do ano passado e sobre Israel. Ao final, foram sorteados prêmios, como uma bicicleta, e quem ganhou foi a aluna Letícia Mariana Fernandes, de São Bernardo do Campo.

 

Prêmio EJA

Um momento que sempre emociona a Cerimônia de Premiação do Concurso WIZO de Pintura e Desenho é a entrega do Prêmio EJA (educação de Jovens e Adultos). O vencedor deste ano, Cleiton Varela de Lima, é detento de uma unidade prisional da cidade de Florida Paulista, e viu no Concurso uma porta para a sua ressocialização.

O prefeito de Florida Paulista, Wilson Fróio Jr., esteve presente à cerimônia e ressaltou o trabalho árduo das professoras com na unidade prisional. “Acredito que quando o detento se propõe a fazer um trabalho como esse, ele quer resgatar sua dignidade e sua vida, por isso esse trabalho muito importante”.

A professora Charlene Andrezza Zanco Mantovani contou sobre a dificuldade em se trabalhar com os alunos da penitenciária. “Eles não têm acesso à Internet e a nada que acontece fora da prisão e tudo depende das informações levadas pelos professores”, explicou. “Eles estão muito felizes e lisonjeados por eu estar aqui em nome deles”.

O secretário José Renato Nalini, que entregou o prêmio, frisou que levar esse Concurso aos detentos é importante, pois “se a sociedade fechar as portas, eles não terão opção e seguirão no caminho errado”.