Em carta ao embaixador polonês, Conib pede respeito à verdade histórica e à memória das vítimas do Holocausto

67

A Confederação Israelita do Brasil (Conib) enviou carta na sexta-feira (2) ao embaixador da Polônia no Brasil, Andrezj Maria Braiter, manifestando a sua preocupação com os termos do projeto de lei recentemente aprovado pelas duas casas do Parlamento polonês e que prevê penas de até três anos de prisão para quem usar a expressão “campos de extermínio poloneses” para se referir aos crimes cometidos pelos nazistas em território polonês durante a Segunda Guerra Mundial.

 “A nosso ver, trata-se de uma tentativa – infeliz – de reescrever a história. Houve poloneses que ajudaram as vítimas do nazismo, milhares deles reconhecidos como Justos Entre as Nações, pelo Yad Vashem, de Jerusalém – e também houve aqueles que apoiaram os perpetradores. Pensamos que o caminho a ser adotado deve ser o da educação das novas gerações, um enfrentamento corajoso do passado, com todas as dificuldades que isso acarreta – mas não uma legislação que tente punir quem queira discutir questões reais”, diz o texto da carta assinada por Fernando Lottenberg, presidente da Conib, e por Eduardo Wurzmann, secretário-geral da instituição.

 “Solicitamos assim a V. Exa. que leve ao Sr. Presidente da República, Sr. Andrzej Duda, essas ponderações, no sentido de não sancionar esse projeto, garantindo o respeito à verdade histórica e à memória das vítimas”. Leia abaixo a íntegra da carta.

http://www.conib.org.br/noticias/4083/em_carta_ao_embaixador_polones_conib_pede_respeito_a_verdade_historica_e_a_memoria_das_vitimas_do_holocausto