Corinthians homenageia vítimas do nazismo com estrela de David na camisa

1348

Um vídeo muito especial levou milhares de pessoas às lágrimas circulou poucas horas antes da 4ª feira, 6 de novembro de 2019, uma data que ficará eternamente marcada nos anais do esporte e da história dos judeus no Brasil. Em ato de grande coragem e ousadia, o “Sporte Clube Corinthians”, detentor da maior torcida do país, decidiu mudar sua própria história.

O símbolo da estrela que fazia parte do “manto corintiano” (termo que os torcedores usam para denominar a camisa do time) até sete anos atrás, voltou a brilhar ontem na Arena em Itaquera. Mas, desta vez, era uma estrela muito especial: a “Estrela de David”.

Em um ato de sensibilidade, o clube recordou publicamente a fatídica “Kristallnacht”, o pogrom mais cruel e violento acontecido tanto na Alemanha como na Áustria. Na ocasião, tropas de choque do Terceiro Reich, perpetraram um quebra-quebra total no comércio judaico, atingindo mais de 7.000 lojas e queimando centenas de sinagogas. Este acontecimento foi um divisor de águas para os judeus.

O evento de ontem aconteceu momentos antes da partida entre o Corinthians e Fortaleza. Em um dos camarotes do estádio, o sobrevivente Andor Stern, 91 anos, corintiano de carteirinha há 60 anos, vibrava com o jogo. O protagonista do livro “Uma estrela na escuridão”, (uma biografia escrita magistralmente pelo jovem historiador Gabriel Davi Pierin), dava entrevistas e era fotografado com os convidados do evento.

A ação idealizada pelo “Memorial do Holocausto” e a agência Tech and Soul, em parceria com o “Sport Club Corinthians Paulista”, foi uma maneira de dizer abertamente à sociedade que ainda é possível lutar contra o preconceito e a intolerância. Que novas parcerias como estas iluminem o caminho dos seres humanos para que as gerações futuras usufruam de um mundo melhor, de paz, harmonia e amor fraterno.