Fisesp e Cônsul-geral de Israel visitam Santos e São Vicente

109
Ricardo Berkiensztat, Alon Lavi e Luiz Kignel durante reunião com Kayo Amado (Divulgação/Fisesp)

Alon Lavi, Luiz Kignel e Ricardo Berkiensztat estiveram reunidos com os prefeitos Rogério Santos e Kayo Amado

O Cônsul-geral de Israel, Alon Lavi, visitou as cidades de Santos e São Vicente na última  quinta-feira (4). Em Santos, acompanhado do presidente da Federação Israelita SP, Luiz Kignel e do presidente executivo, Ricardo Berkiensztat, ele se encontrou o prefeito Rogério Santos (PSDB). Segundo a prefeitura, a reunião foi o primeiro passo para estabelecer parcerias com o Estado de Israel nas áreas de Empreendedorismo, Educação, Tecnologia e Inovação.

“Podemos firmar acordos em várias áreas com a Cidade”, afirmou o diplomata. A comitiva visitou o Salão Nobre Prefeito Esmeraldo Tarquínio e o Centro de Controle Operacional (CCO), onde se concentra o monitoramento da cidade em tempo real.

Rogério Santos destacou que Israel, atualmente, é referência mundial em imunização contra a covid-19, com um terço da população de quase nove milhões de habitantes vacinada.

Rogerio Santos deu detalhes do funcionamento do Centro de Controle Operacional (Divulgação / Fisesp)

São Vicente

Em São Vicente, a comitiva foi recepcionada pelo prefeito Kayo Amado (Podemos), no Paço Municipal. O chefe do Executivo falou sobre as características da cidade e disse iniciar uma gestão administrativa com os olhos voltados para o desenvolvimento, a inovação e a recuperação do orgulho de ser vicentino. Amado também contou a trajetória do avô Salomão, judeu polonês que, fugido da Segunda Guerra Mundial, fincou raízes em São Vicente. Aqui ele trabalhou no comércio e constituiu família, abraçando as oportunidades que a cidade ofereceu.

Lavi questionou saber as medidas adotadas pelo município no combate ao coronavírus e anunciou a doação de máscaras, face shields e demais insumos de proteção individual para garantir segurança de professores e alunos da rede municipal quando retornarem às aulas presenciais.

O prefeito Kayo Amado defendeu a realização de um grande pacto da nação no combate à covid-19 envolvendo todas as esferas governamentais e todas as áreas da sociedade em ações conjuntas para o enfrentamento da pandemia. “Vamos vencer a Covid-19 não só com a vacina, mas também com a conscientização de que todo mundo tem uma grande responsabilidade nesta batalha.”

Luiz Kignel sugeriu, ainda, que a rede pública municipal inclua uma aula sobre o holocausto no conteúdo programático da disciplina de História, e ofereceu capacitação de professores e material pedagógico sobre o tema. “A história não pode ser apagada”.

Além de estreitar os laços com São Vicente, a comitiva ofereceu também um intercâmbio de experiências, sobretudo nas áreas de saneamento, gestão de resíduos, tecnologia e capacitação profissional, inspirado no conceito de cidades inteligentes.