Mais de 200 pessoas prestigiam exibição seguida de debate do documentário que retrata a vida de Henry Sobel

8
Rabino Ruben Sternschein, Tuna Dwek, Dom Odilo Scherer, Jayme Brener, Sérgo Gag e Fernando Navarro - Divulgação

O Ministério do Turismo, Congregação Israelita Paulista (CIP), a DGT Filmes, a ExLibris e  a Krakatoa filmes apresentaram nesta quarta-feira, 11 de maio,  na Sinagoga da CIP,  sessão especial do documentário “O Rabino na Catedral”, em evento que reuniu mais de 200 pessoas.

O documentário, que tem cerca de 25 minutos, direção e  roteiro de Fernando Navarro e Sérgio Gag,   produção executiva de  Jayme Brener e Well Darwin e narração de Tuna Dwek,   retrata a vida do rabino Henry Sobel, uma figura de grande expressão religiosa, social e política no Brasil.

Depoimentos de pessoas que conviveram diretamente com ele e de outras como o jornalista  Boris Casoy,  relataram momentos que demonstram a personalidade cativante e midiática  de Sobel, e de por que é considerado  um protagonista histórico na defesa dos direitos humanos no Brasil, com destaque para sua atuação na luta pelo esclarecimento do assassinato do jornalista Vladimir Herzog durante a ditadura militar.

Após a exibição  do documentário,  o rabino  Dr.  Ruben Sternschein,   mediou  um bate-papo com a participação do cardeal Dom Odilo Scherer, do jornalista Jayme Brener, da atriz Tuna Dwek  e de Sérgio Gag e Fernando Navarro,  diretores do filme.

“O rabino Henry Sobel foi, sem dúvida, o judeu mais importante em mais de cinco séculos de história do Brasil. Com seu trabalho em defesa dos direitos humanos e do diálogo inter-religioso, ele garantiu uma inserção maior da comunidade judaica dentro do Brasil e da comunidade judaica. E, como um rebelde permanente, muitas vezes ele fez isso à revelia ou mesmo na contramão do que desejavam as lideranças judaicas do país”, destacou Jayme Brener.

Sérgio Gag e Fernando  Navarro pontuaram os desafios para a realização do documentário. Segundo eles,  “todo mundo tem uma história para contar sobre o Sobel ou com o Sobel, e foi um grande desafio filtrar essas histórias e construir uma trajetória a partir de relatos e referências de outras pessoas”.

Para Dom Odilo Scherer o rabino Sobel foi um homem aberto ao diálogo inter -religioso e em especial ao diálogo católico- judaico. Ele era muito firme nas suas posições, mas estava sempre aberto a ouvir. Sua presença em muitos eventos ajudou a aproximar diversos grupos religiosos.

Henry Sobel  não era uma pessoa apenas de palavras, ele era de palavras e de atos. Ele sempre esteve à frente de lutas benéficas para todo o  mundo  e suas atitudes eram condizentes com tudo o que ele achava e pensava.   Ele era uma pessoa ligada ao humano, não necessariamente ao ideológico e ao partidário”, declarou Tuna Dwek.

“O encontro de hoje foi muito especial e necessário. Hoje  pudermos aprender sobre o bem e ver como o bem  foi claramente muito maior do que os tropeços na vida de Henry Sobel. As bençãos podem ser dadas a todos e recebidas por todos, e todo o meio é bom para  se fazer o bem”, concluiu o rabino Dr.  Ruben Sternschein.

O evento foi uma realização do Ministério do Turismo, através da Lei de Incentivo a Cultura, da Congregação Israelita Paulista, DGT filmes, da Ex-libris e Krakatoa filmes, com patrocínios de Bemol, Itaú, CSN, GR, Rosset e Helbor.