Com mediação do Rabino Nilton Bonder, evento discutiu a visão judaica sobre inclusão

33

“Enquanto houver um judeu  que não se sinta incluído na comunidade, nós, da Fisesp,  não vamos descansar”, ressaltou Marcos Knobel  presidente da Federação Israelita do Estado de São Paulo (Fisesp), durante o evento “Uma visão judaica sobre inclusão”, realizado pela entidade, no dia 28 de março, no Teatro Arthur Rubinstein, da Hebraica.

O evento, que discutiu sobre as diferenças entre estigmas, preconceitos e a discriminação social,  teve Luciana Feldman como Mestre de Cerimônias e  contou com a participação do rabino Nilton Bonder, que  foi o Keynote e mediador da noite em um debate com a participação de Israel Stroh  (Le Culam), Vera Bobrow (Até os 120), Nivea Pires (Residencial Albert Einstein),  Caroline Beraja e Ariel Lebl (Juventude) e Natasha Alexander (Hineni) .

cantora Assucena (também pertencente ao Hineni), indicada duas vezes ao Grammy Latino e ao Prêmio da Música Brasileira, abriu o evento emprestando sua  voz que arrancou efusivos aplausos da plateia .

Os presidentes da Fisesp e Hebraica, Marcos Knobel e Fernando Rosenthal, além de Eduardo Zlotnik, diretor da Fisesp responsável pelas comissões de inclusão,  destacaram em seus discursos a  importância de não se diferenciar as pessoas por posição, identidade, gênero e quaisquer outras características e do trabalho das entidades para que cada judeu se  sinta  pertencente à comunidade.

Os participantes do debate expuseram suas experiências pessoais e também dentro das comissões as quais pertencem, e debateram sobre  a importância da inclusão na tradição judaica, bem como os  desafios, tensões e avanços vivenciados por cada um, além das diversas identidades que cada um tem, que complementam, de forma plural,  o status de “ser judeu”.

“Nós, da comunidade judaica, somos um modelo inclusivo de sociedade, mas a inclusão é um esforço contínuo. Somos todos iguais nas nossas diferenças e diferentes na nossa igualdade”, destacou o rabino Nilton Bonder.

Ao final do evento, a vice-presidente da Fisesp e idealizadora do Gupo de Empoderamento e Liderança Feminina da Fisesp, Miriam Vasserman, subiu ao palco e deixou uma mensagem final. “Pessach está chegando, e a cada ano, gosto de convidar para jantar na minha casa, alguém que não tem aonde ir, e trazer essa pessoa para perto e fazer com que se sinta acolhida “, concluiu.

O evento que contou com os recursos de acessibilidade de interprete de libras, audiodescrição, legendas no vídeo de abertura e linguagem simples, teve apoio da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein.