O Maestro – Em Busca da Última Música

486

O Maestro – Em Busca da Última Música
Concerto no Memorial da América Latina apresentará músicas compostas e recuperadas dos Campos de Concentração durante a Segunda Guerra Mundial

Evento abrirá as comemorações pelos 75 anos da libertação dos campos de concentração e reunirá obras do Maestro italiano Francesco Lotoro, fruto de 30 anos de pesquisas

Como abertura das comemorações dos 75 da libertação dos campos de concentração da Segunda Guerra Mundial, será realizado, no dia 21 de novembro, às 20h30, no Auditório Simón Bolívar, do Memorial da América Latina, em São Paulo, o concerto “O Maestro – Em Busca da Última Música”, dirigido pelo Maestro italiano Francesco Lottoro e executado pela Orquestra Jazz Sinfônica Brasil, com músicas compostas e recuperadas dos campos de concentração.
O evento acontece por iniciativa da organização ambiental KKL Brasil e terá parte da renda dos ingressos revertida para o “projeto 100 viagens”, do maestro italiano, para a continuidade da pesquisa de novas partituras com os poucos sobreviventes do Holocausto ainda em vida. Na mesma ocasião acontecerá a Exposição “Rostos do Holocausto”, do fotógrafo Eduardo El Kobbi, com imagens dos sobreviventes do Holocausto que residem no Brasil e que estarão presentes ao Concerto.
Há 30 anos o maestro Francesco Lotoro dedica-se a missão de resgatar e apresentar esse patrimônio musical ao mundo. Lotoro catalogou cerca de 1,6 mil compositores e transcreveu mais de 8 mil obras musicais. O acervo conservado em sua casa na pequena cidade de Barletta, no sul da Itália, reúne óperas, operetas, música sinfônica, lírica, jazz, até canções populares, cantigas e paródias e será transformado pelo governo italiano na “Cittadella Della Musica Concentracionalle”, um Centro Cultural com teatro, cinema e biblioteca e tratará apenas de musicas concentracionais. .
O trabalho de Lotoro foi retratado no documentário “O Maestro”, de Alexandre Valenti, premiado no mundo todo e exibido em São Paulo durante a 42ª Mostra Internacional de Cinema. Grande parte dessas composições, muitas das quais escritas em milhares de manuscritos, em partituras e folhas despedaçadas e até rabiscos em papel higiênico ou em sacos de carvão, foram criadas por judeus, mas há também músicas feitas por presos políticos, comunistas, homossexuais, ciganos e religiosos.
“A música pode se tornar o último testamento de algumas pessoas e em alguns casos, como na época do Holocausto, foi o que se perpetuou para as futuras gerações. Assumi a missão de fazer com que essas obras voltem à vida e que sejam ensinadas, tocadas, cantadas e assobiadas por todos de forma a perpetuar a vida onde havia morte”, destacou Francesco Lotoro.
“Este projeto mostra o maior símbolo da resistência dos judeus sobre o Holocausto. As músicas compostas serão as futuras testemunhas dos horrores desse período da história. É importante fazermos uma ponte entre passado, presente e futuro, libertando essas músicas, e recuperando a relevância de cada músico presente nos campos, dignificando essas obras de resistência em meio ao caos. Trata-se de um legado para a humanidade e que merece todo o nosso apoio e respeito”, finalizou Eduardo El Kobbi, produtor do espetáculo e presidente do KKL Brasil.
Com formação bastante singular a Orquestra Jazz Sinfônica Brasil foi criada em 1989 e une a orquestra dos moldes eruditos a uma big band de jazz. O resultado é uma sonoridade exclusiva, que tem lhe conferido protagonismo na criação de uma nova estética orquestral brasileira por meio de arranjos contemporâneos e únicos, criados com exclusividade para o grupo.
O KKl Brasil com seu foco em ações socioambientais, educacionais e humanitárias procura promover o intercâmbio cultural entre o nosso país , Israel e outros 45 países onde o KKL está presente. Ele é um braço do KKL- Keren Kayemet LeIsrael, a mais antiga e maior organização ambiental não governamental do mundo, fundada em 1901. Desde o seu início, e ao longo de seus 118 anos de existência, o KKL liderou um projeto florestal sem precedentes, que transformou uma terra desolada em um maravilhoso país verde. Mais de 240 milhões de árvores foram plantadas ao longo dos anos. Atualmente, o trabalho do KKL em Israel está concentrado em seis áreas de atuação que incluem florestas, água e meio ambiente, educação, desenvolvimento comunitário e segurança, turismo e recreação e pesquisa e desenvolvimento.

Concerto “O Maestro – Em Busca da Última Música”, dirigido pelo Maestro italiano Francesco Lottoro, e executado pela Orquestra Jazz Sinfônica Brasil, com músicas compostas em campos de concentração
Data: 21 de novembro de 2019 (quinta-feira)
Horário: 20h30
Local: Teatro do Memorial da América Latina – Auditório Simón Bolívar
Endereço: Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664 – Barra Funda,
Classificação indicativa: Livre
Possui acesso para deficientes físicos.

Ingressos: https://bileto.sympla.com.br/event/62898/d/74636