Setur-SP e Federação Israelita SP assinam acordo para promover o turismo judaico em todo o Estado

93

O secretário de Turismo e Viagens do Estado de São Paulo, Roberto de Lucena, assinou, nesta segunda-feira, 12, no Museu Judaico, em São Paulo, um protocolo de intenções com Marcos Knobel,  presidente da Federação Israelita do Estado de SP (Fisesp), para promover iniciativas relacionadas ao turismo judaico no âmbito do Programa de Turismo religioso da Secretaria de Turismo e Viagens de SP. O acordo tem o apoio do Museu Judaico e do Memorial do Holocausto.

Estão previstos convênios, acordos de cooperação e parceiras entre a Federação Israelita do Estado de São Paulo e a Setur-SP, o que pode se desdobrar na criação de roteiros e apoio a eventos que tenham o potencial de atrair visitantes para todo o estado. A assinatura aconteceu na presença do rabino David Weitman, representando o Memorial do Holocausto, e Sérgio Simon, presidente do Museu Judaico de São Paulo.

 “O turismo religioso é uma vertente de enorme potencial para São Paulo pela sua diversidade e capacidade de gerar fluxos de visitantes. Nosso papel é tornar o Estado cada vez mais inclusivo e tolerante, com opções para todo tipo de fé”, disse Lucena. A Setur-SP promove destinos religiosos, rotas peregrinas e investe no incremento de toda a oferta turística relacionada à fé e à espiritualidade.

“A assinatura desse documento é de extrema importância para a nossa comunidade e nossa cultura, pois vai propiciar a toda população paulistana e também aos turistas conhecerem um pouco mais da cultura judaica. Nossa comunidade é ampla e plural e com este acordo vamos poder mostrar um pouco das contribuições do povo judeu para o Estado de São Paulo”,  disse o presidente da Federação Israelita do Estado de São Paulo, Marcos Knobel.

Para Sergio Simon, o roteiro poderá mostrar aspectos não apenas da religião judaica, mas também do judaísmo cultural e secular, fundamental  para mostrar a pluralidade dos judeus brasileiros, sua histórias e diferentes formas de conexão com esta cultura. “Esse documento lança um programa que ressalta a importante contribuição da comunidade judaica na construção da civilização brasileira, visando uma sociedade mais justa e menos desigual. Mostrar essa história é função específica do Museu Judaico de São Paulo”, explica.

“São Paulo é feito de muitas etnias e tem uma diversidade cultural enorme. Agora está se criando um roteiro de turismo judaico, por meio do qual as pessoas vão poder  conhecer nossa cultura e nossas  raízes. Isso  faz com que a população se respeite mais e também ajuda na luta contra a intolerância”, concluiu o rabino David Weitman, representando o Memorial da Imigração Judaica e do  Holocausto.

O Turismo Religioso é um dos segmentos turísticos que mais cresce no Brasil, de acordo com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). A fé é responsável por cerca de 20 milhões de viagens todos os anos e movimenta mais de R$ 15 bilhões, de acordo com o Ministério do Turismo.