FISESP e LEER/USP unem-se para preservar a memória do Holocausto

171

Nesta sexta-feira, dia 27 de janeiro, é celebrado o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto. A data, instituída pela ONU – Organização das Nações Unidas –, por meio de Resolução 60/7, lembra que neste dia em 1945 foi libertado o maior campo de concentração e extermínio do regime nazista, Auschwitz, na Polônia.

Em São Paulo, um ato solene promovido pela Confederação Israelita do Brasil, Federação Israelita de São Paulo e a Congregação Israelita Paulista será realizado na Sinagoga da CIP, dia 29, às 18 horas.

A mensagem que esta data traz é a de que a memória do Holocausto precisa ser preservada para que a atual e as futuras gerações tenham conhecimento dos horrores que o preconceito pode trazer para a sociedade, ceifando milhões de vidas. A educação é instrumento fundamental contra a intolerância

O momento é de reflexão e de promover ações de apoio da comunidade e de empresários para a continuidade da preservação dessa memória. Nesse sentido, a Fisesp e o LEER – Laboratório de Estudos sobre Etnicidade, Racismo e Discriminação – da USP, por meio do Arquivo Virtual da Shoah – Arqshoah, firmam uma parceria em busca de recursos para evitar que os trabalhos sejam interrompidos em razão de dificuldades provocadas pela crise financeira.

Arqshoah, um libelo contra a intolerância

O acervo Arqshoah – Arquivo Virtual sobre Holocausto e Antissemitismo -tem hoje 246 entrevistas em áudio e/ou vídeo, além de milhares de fotografias e documentos diplomáticos pesquisados pela equipe coordenada pelas Professoras Dra. Maria Luiza Tucci Carneiro e Dra. Rachel Mizrahi. Ao mesmo tempo, os acervos dos sobreviventes estão sendo digitalizados com o objetivo de complementar as histórias de vida daqueles que escolheram o Brasil como sua pátria definitiva. Este é o perfil diferencial da Base de Dados que homenageia os que sobreviveram ao maior genocídio que abalou a história da humanidade: o Holocausto. O Arquivo Virtual pode ser acessado no endereço eletrônico www.arqshoah.com.br

O Arqshoah atua com pesquisadores bolsistas em nível de excelência e voluntários e tem como parceiros o Museu de Auschwitz, na Polônia, uma parceria inédita no país; Museu do Holocausto de Curitiba, o único museu sobre o tema no Brasil; Arquivo Nacional do Rio de Janeiro; Arquivo Histórico Judaico Brasileiro; além das entidades judaicas Conib; Fisesp; B’nai B’rith, e Unibes.

A professora Maria Luiza Tucci Carneiro, responsável pelo LEER e pelo projeto Vozes do Holocausto/Arqshoah, lembra que esta é última geração de sobreviventes que ainda está entre nós e que é preciso registrar seus testemunhos com a maior urgência. “Mas, os reflexos da crise estão dificultando a realização deste trabalho, que necessita de recursos complementares mensais para que tenha prosseguimento por mais 12 meses. Sem apoio financeiro, a sua continuidade está ameaçada, assim como os testemunhos dos sobreviventes”, informa.

A Fisesp aliou-se ao LEER-USP com o objetivo de garantir o registro dos testemunhos e a preservação dos documentos disponibilizados pelos pesquisadores do projeto Arqshoah. Uma comissão executiva foi formada para auxiliar na captação de recursos junto aos empresários brasileiros e pessoas físicas conscientes da importância deste legado para as futuras gerações. Participam da comissão como representantes da FISESP: Ricardo Berkiensztat, Morris Ely e Ana Lucia Livovschi; do LEER/USP: Profa. Maria Luiza Tucci Carneiro (LEER-USP); da comunidade judaica: Márcia Feldon Borger, Verônica Cattan, George Legmann e Gabriel Zitune.

A Diretoria da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo outorgará, em cerimônia pública na USP, Certificados de Honra aos patrocinadores do Arqshoah e aos sobreviventes do Holocausto que deram seus testemunhos à equipe do Arqshoah. Ainda que simbólicas, estas homenagens são um marco na história da academia brasileira que, desta forma, aproxima-se da sociedade civil ao abrigar tão importante legado.
Os interessados em colaborar para a preservação deste importante legado devem contatar Profa. Maria Luiza Tucci Carneiro (LEER-USP) pelo seguinte e-mail: [email protected]